A emocionante criação de Deus*

Presenciei algumas coisas lindas recentemente. Viajando de carona pelos alpes italianos, vi um pico coberto de neve ao amanhecer. Em Florença, fiquei boquiaberto por duas horas diante do Davi de Michelangelo, sem noção de tempo até um guarda abruptamente me informar que o museu estava por fechar e era hora de ir embora. Correndo ao longo das praias de Jersey, vi um sol ardente descendo em meio à escuridão que se formava. Em geral, experimentamos a beleza primeiro nas coisas que nos cercam. Às vezes em coisas facilmente perceptíveis, outras vezes na transparência de um olhar ou de um relance que revela uma alma repleta de luz. Sempre que encontramos o belo, nosso coração despertar, estremece, aviva-se, experimenta emoções, porque há um poder mágico extraordinário nas menores coisas: uma planta minúscula que floresce na primavera, uma sombra do céu em determinado momento do dia, uma noite calma e fria a brilhar com o fulgor das estrelas – tudo o que arrebata o coração. São uma pequena mostra do paraíso perdido na terra, onde tantas coisas estão dilaceradas ou a esfacelar-se. São pequenos oásis no vasto deserto do mundo.

*por Brennan Manning.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>