Como reconhecer a procrastinação: 6 ações que geram esse mal.

Man with beer and chips watching TV at home

A procrastinação é um mal que assola muita gente. A idéia desse post é apresentar algumas causas que levam as pessoas a assumirem esse tipo de postura, não sabendo usar o seu tempo de forma produtiva para fazer o que realmente precisa ser feito.

Entenda algumas ações que geram ou alimentam o ato de procrastinar:

Deixar para depois…

Esse é um hábito que as pessoas desenvolvem e às vezes nem percebem. Vivem deixando as coisas sempre para depois, acumulando pendências e perdendo o foco do que realmente é importante, mas no final do dia vem a culpa e o peso na consciência de que não se está fazendo por merecer para realizar os seus objetivos de vida.

Culpa, ansiedade e desmotivação #ModeOn!

A fuga da ansiedade…

O dia corrido, cheio de compromissos e as cobranças internas que geram uma ansiedade e consequentemente um gasto de energia emocional inútil. Você fica nervoso ou nervosa e acaba evitando ainda mais as coisas que deveriam ser feitas ficando preocupado.

Procrastinar é uma forma de aliviar as pressões, se desligar das cobranças e buscar alguma forma de prazer para reduzir a ansiedade.

Autossabotagem…

Por incrível que pareça a a procrastinação pode funcionar como uma forma de auto-proteção. Ela pode vir como uma consequência da necessidade de autossabotagem.

É como se você, inconscientemente, optasse por não se preparar para um desafio pelo medo do fracasso. É desligar o vídeo-game quando se está perdendo.

“Eu prefiro perder para mim mesmo que perder para o jogo”.

O que as pessoas não conseguem perceber é que independente de perder para si mesmos ou para o jogo, se está perdendo.

Medo de fracassar de novo…

Quando você enfrenta o insucesso, quer seja por erro seu ou não, a frustração pelo fracasso pode provocar o medo de que aquilo se repita. Os desafios futuros podem ser encarados com temor pela lembrança dos erros do passado.

Às vezes esse trauma é tão forte que o erro em si, o momento do fracasso, é temporariamente esquecido, por se tratar de uma má lembrança. Apesar de não se conseguir se lembrar daquela derrota, as consequências dela se refletem na forma de enfrentar os desafios, de lidar com os próprios erros, na auto-estima e autoconfiança reduzidas.

E se eu não conseguir???

Vejo pessoas competentes, com tantas vitórias e conquistas na vida, que se acovardam diante dos seus desafios. O medo de fracassar nesses casos é maior do que o desejo do sucesso.

A possibilidade de parecer um fracasso paralisa e acaba sendo uma opção muito mais segura não tentar e se esconder atrás de uma desculpa. Achar que ‘não tem tempo’, ‘a vida está corrida’, ‘ deixar para depois’, ‘se eu começar agora não vai dar tempo’ são apenas alguns dos recursos usados pelo procrastinador.

Em vez de partir para a ação, dedica-se tempo para qualquer coisa que não seja o que é preciso fazer de verdade, pelo medo de uma possível derrota. Vale qualquer coisa para gastar o tempo que deveria se estar fazendo o que é preciso. O estudo é uma das ações deixadas de lado, porque justamente é mais fácil ignorar que ele é necessário.

E se eu me preparar e der errado?

Há uma necessidade generalizada de parecer perfeito, uma vergonha pelos erros e insucessos, um medo de não ser suficientemente bom para ser aceito ou amado pelas  outras pessoas. Como se ninguém nunca tivesse cometido os seus erros e houvesse fracassado.

Como se errar fosse um privilégio único e exclusivo de quem está cometendo aqueles erros. A lembrança dos erros do passado tiram a coragem e a confiança para enfrentar os desafios do futuro.

Nesse post eu citei 6 ações ligadas diretamente a procrastinação. No próximo eu vou falar as maneiras de evitá-las e como retirar a procrastinação de vez da sua vida.

Forte abraço!

Master Coach Felipe Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>