Condutas*

Parece que as pessoas vivem eternamente sobrecarregadas, como aquele turista que carrega muitas malas e acaba não desfrutando da viagem, e assumindo o peso de não saber abrir mão das atividades que não interessam mais.

Cuide melhor de você mesmo. Relaxe e se dê um tempo.

É melhor colocar as malas no chão, olhar os arredores, o mapa, e então decidir para que lado ir.

Saiba quais são as prioridades em sua vida e crie condições para realizá-las.

É muito frustrante dedicar uma vida a realizar certos objetivos e acabar percebendo que – talvez – não fosse isso o que você realmente gostaria de ter vivido.

É muito triste ver o número de pessoas bem-sucedidas – com mais de 60 anos – e que nunca tiveram um momento de paz.

Elas ficam depressivas por perceberem que – se profissionalmente conseguiram o que se propuseram – no resto não chegaram a ser felizes!

*por Roberto Shinyashiki.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>