Coragem para escolher: sucesso, dinheiro e felicidade

Realizing-Gods-Calling-in-My-Life

“Estou em dúvida sobre escolher uma carreira pela segurança e estabilidade ou algo que eu tenha mais afinidade”.

Diariamente percebo essa dúvida cruel dos nossos coachees: seguir um caminho pensando no dinheiro e na segurança que ele pode trazer ou buscar a realização profissional.

Quer eles estejam se preparando para o sucesso em provas, concursos ou vestibulares, na maratona para buscar uma excelente nota no ENEM, essa dúvida é muito frequente e extremamente danosa, pois ela gera um desgaste imenso. Há uma perda de energia emocional que pode gerar uma ansiedade absurda, além da indisciplina pela falta de foco e a desmotivação em persistir nos estudos.

É como se você estivesse em uma encruzilhada com “aparentes” bons motivos para seguir os dois caminhos. E agora, qual direção escolher?

 

PAGAR CONTAS E SOBREVIVER x REALIZAÇÃO PROFISSIONAL

Quando há essa dúvida sobre qual caminho escolher, deve-se considerar a sua situação financeira. Se você precisa hoje ou o mais breve possível gerar uma renda financeira para pagar as suas contas básicas e se alimentar, até o emprego de adestrador de leões sem chicote está valendo. Mas, se a sua família te permite cobrir esses custos básicos para sobreviver, e nem estou falando de luxos, mas de ter aonde morar, o que comer e o que vestir, vale a pena correr atrás dos caminhos que têm coração.

 

CARTAZ DOS SONHOS

Essa é uma ferramenta básica, um ponto de partida para qualquer jornada pessoal ou profissional. Ele é um mosaico com as imagens dos seus sonhos, dos seus objetivos de vida. Quando você faz a busca no Google pelas imagens que correspondem aos seus sonhos, um processo de escolha começa a acontecer. Você deixa de escolher algumas casas, para selecionar a imagem da casa que mais de chama a atenção. Você escolhe as imagens que mais traduzam a alegria de fazer as tão sonhadas viagens de férias. Você pode copiar e colar no Ms Power Point a imagem de uma família feliz, se isso é importante para você.

Na hora de pegar as imagens do seu sucesso profissional vem o incômodo quando olhamos para os caminhos que não têm coração.

 

CAMINHOS QUE TÊM CORAÇÃO

Certa vez eu estava em mais um infeliz dia de trabalho como professor federal concursado. Era funcionário público, tinha um salário relativamente alto, trabalhava pouco, mas não estava nada feliz. Os alunos eram fantásticos, mas eu não me identificava com o ambiente de trabalho e nem com a rotina de aulas e da atividade docente naquele modelo.

Eu estava no intervalo entre uma aula e outra, caminhando no jardim do antigo CEFET, quando fiz uma oração e pedi a Deus que ele me iluminasse naquele momento. Eu estava aonde muitos gostariam de estar, vivendo uma vida que teoricamente desejei por muito tempo, mas não tinha alegria em viver daquele jeito. Nessa caminhada eu encontrei uma folha no chão com um trecho de um livro de Carlos Castañeda:

Um caminho é só um caminho, e não há desrespeito a si ou aos outros em abandoná-lo, se é isto que o coração nos diz… Examine cada caminho com muito cuidado e deliberação. Tente-o muitas vezes, tanto quanto julgar necessário. Só então pergunte a você mesmo, sozinho, uma coisa… Este caminho tem coração? Se tem, o caminho é bom, se não tem, ele não lhe serve. Um caminho é só um caminho.

Terminei de ler esse texto, fui à sala da Direção e pedi o meu termo de exoneração.

Fui duramente criticado por muita gente: você vai largar um cargo público, seguro, concursado, por um futuro incerto.

Saí do CEFET meio sem rumo, com algumas propostas de trabalho para ser auditor e consultor. Eu não imaginava qual caminho iria dar certo, mas tinha a certeza de que aquele não seria o meu. Às vezes ajuda muito fazer algumas escolhas definindo o que você NÃO QUER, para poder encontrar o que se quer.

Seis meses depois da minha demissão eu já estava ganhando três vezes mais e muito mais feliz com o que fazia. Empreendi, acertei, errei, mas sempre busquei a alegria de viver no que eu fazia, servindo ao próximo e entendendo que todo trabalho que eu venha a fazer na vida eu tenho um patrão maior que os meus clientes: DEUS.

Um ano depois eu ganhava o quíntuplo do que recebia como funcionário público federal e hoje eu percebo que essa conta sobe sempre que eu encontro algo para trabalhar que tenha coração, usando topos os aprendizados que a vida duramente me ensinou (cheguei a passar fome e a escrever a minha carta de despedida quando o suicídio me parecia a solução dos meus problemas). Graças a Deus a minha fé me salvou e me fez superar tudo e todos que me impuseram dificuldades. Mas não foi a minha fé em Deus que me salvou. Ter fé em Deus é muito fácil, Ele é criador de tudo e de todos. Ter fé em si mesmo(a) é muito mais difícil. Acredito que a fé em si mesmo, na sua capacidade de fazer dar certo até que dê certo é um exercício da sua fé maior.

Cada dificuldade me fez crescer, cometi muitos erros que hoje não os cometeria, mas tudo sempre valeu a pena porque busquei os caminhos que tinham coração.

 

O FIM DA VIDA

Sempre penso que esse dia vai chegar, mas não faço isso com tristeza. A morte não deveria ser triste, pois ela faz parte da vida e chega para todo mundo. Eu, você, as pessoas que amamos, todos nós um dia não estaremos mais “por aqui” e quando esse dia chegar para mim quero poder fechar os olhos com a tranquilidade de quem viveu uma vida plena, feliz, orientado pelos meus valores, fazendo as escolhas não baseadas pelo medo ou pela covardia de fugir dos riscos, disposto a pagar o preço pelas minhas conquistas. Vivo cada dia da minha vida lembrando desse dia “final”, sendo grato por todas as possibilidades, conquistas e pequenas coisas maravilhosas, como o pão nosso de cada dia, que acabamos nos acostumando e deixando de nos encantar com a maravilha de ter o que temos, fazer o que fazemos e ser quem somos.

Quando esse dia chegar vou leve e feliz, sem arrependimentos, sem deixar de dizer que amo a ninguém, sem deixar de pedir desculpas pelos erros que cometi, sem deixar de agradecer a quem me deu forças e até a quem não me deu e que assim me permitiu me fazer forte quando foi necessário.

 

O QUE VOCÊ FARIA SE NÃO TIVESSE MEDO?

Li isso há muito tempo no livro ‘Quem mexeu no meu queijo’ e sempre me faço essa mesma pergunta quando tenho que tomar decisões.

Ter medo é natural, prudente. Superá-los também.

 

“E A INSEGURANÇA?”

Certa vez uma coachee, que estava com uma dúvida imensa entre advogar ou seguir fazendo concursos públicos, me questionou sobre qual caminho seguir. Ela dizia que tinha prazer em advogar, gostava e se identificava com a militância jurídica, mas que tinha MEDO pela insegurança e incertezas da advocacia, onde é possível pegar causas com grandes honorários ou não ter causa alguma. A carreira pública era um atrativo pela estabilidade, a certeza de que todo mês ela receberia um salário, independente de crise no país ou da alta do dólar, além das férias, décimo terceiro salário e o direito de ficar doente.

Ela me perguntou “O que eu faço?”. Respondi “escolha o caminho que tem coração” e que essa é uma escolha que ninguém pode fazer por ela. Seria como alguém dizer para que ela casasse com esse ou aquele rapaz.

A dúvida não passou. Ela conseguia ver coisas boas nos dois caminhos. Perguntei: “Deixe de lado a questão financeira. O que você escolheria se não pensasse em dinheiro?”. Ela respondeu que seguiria advogando. Eu fiquei calado e sorri. “E a insegurança, coach?” ela, desesperada e também sorrindo, me indagou.

Você pode escolher, trilhar um caminho com base nos seus medos ou nos seus sonhos. Escolha! Lembre-se: essas escolhas determinarão como você vai viver a sua vida.

As pessoas que conheço que têm mais sucesso na vida são aquelas que buscaram os caminhos que têm coração para elas, que colecionam as suas derrotas, mas que são pequenas diante das suas vitórias.

Já vi muita gente se arrepender por ter chegado ao topo de montanhas que não queriam escalar. Eu prefiro estar na base da montanha que vale a pena escalar que no topo das que não significam nada para mim.

 

 

VIVER SEM MEDO

Viver é um ato de fé. Na maior parte dos desafios que você vai enfrentar na sua vida, a sua fé será colocada à prova.

Passei alguns anos vivendo com medo de coisas banais, como o escuro e dentista. Ainda vou ao consultório odontológico com o coração na mão, mas enfrento esse medo de cabeça erguida e sempre saio de lá me sentindo um vitorioso. “E se doer?”, o medo sussurra no meu ouvido. Eu respondo “Ter medo vai me ajudar a evitar a dor?”.

Fui dormir SOZINHO na casa da minha tia querida Zita, na Barra de São Miguel em Alagoas. Um lugar paradisíaco pela manhã. À noite, um jardim escuro cheio de árvores e a iluminação só na parte interna da casa. Meia noite, sozinho, deixei a lanterna na mesa da sala e fui caminhando para o quintal. O medo era tanto que as pernas doíam e o corpo tremia. A sensação era de que algum espírito do além me apareceria a qualquer momento. Me lembrei em uma fração de segundos de todos os filmes de terror que já vi na vida. Deitei no chão entre as árvores, olhei as estrelas e uma paz me invadiu o peito. Lembrei-me de que há uma força maior que rege esse universo e que cuida de mim. Naquele momento eu decidi colocar a minha vida nas mãos da minha fé. Foi o momento mais forte na minha vida que eu vivenciei a frase RELAXA QUE A LUZ TE ACHA. Levantei do chão sem aqueles medos, sem medo da vida, com a coragem de quem confia em si mesmo e que está disposto a tentar, cada vez melhor, até dar certo.

 

INFLUÊNCIAS

Por muitas vezes a família procura intervir e recomendar, com a melhor das intenções, o caminho que tem “a sua cara” e “se eu fosse você faria isso ou aquilo”. Eles se baseiam nas suas crenças de que um determinado caminho é melhor que o outro e até tentam te desviar do “mal caminho”, segundo a visão deles.

Ouça, atenta e pacientemente (resista à vontade de explodir e mandar pra PQP), reflita e veja o que pode te ajudar nessa decisão ou não. Depois de ouvir, agradeça, sorria gentil e sinceramente e diga que você vai pensar sobre o que a pessoa acabou de te dizer. Fazendo isso você evita um embate e a árdua tarefa de convencer os outros do caminho que VOCÊ (e não eles) vai seguir.

Tente cortar pela raiz aquele disco arranhado que só repete a mesma coisa: eu já sei a sua opinião, você já me disse isso ALGUMAS VEZES e agora eu preciso pensar sobre o assunto para decidir o que EU vou fazer da MINHA vida.

 

ESCOLHA!

Como amigo eu te digo, como você já deve estar acostumado a ouvir “se eu fosse você…” eu escolheria os caminhos que têm coração, apesar dos medos, assumindo os riscos e buscando aquilo que te realiza, que te faz feliz. Quando isso acontecer, trabalhar vira prazer e você acorda feliz por ser segunda-feira para poder fazer aquilo que traz sentido para a sua vida.

Deve ser por isso que tanta gente adora os finais de semana. As suas escolhas os levaram para um dia-a-dia infeliz, baseado na segurança, na ausência de riscos, nos seus medos.

Como Coach eu te pergunto: como seria viver a sua vida superando os seus medos e buscando a realização do que realmente está no seu coração?

Se esse artigo te ajudou, por favor, me envie no suporte@sougenius.com.br as suas críticas e como foi para você lê-lo, além das suas sugestões para novos vídeos ou artigos.

Desde já agradeço!

Obrigado por ter lido até aqui e me permitir fazer parte da sua vida, contribuir com o seu sucesso e com a sua felicidade.

Um abraço do amigo

Coach Felipe Lima

Comentários

  1. Leonardo Anchieta disse:

    Parabéns Coach Felipe! Sábias palavras… De fato como diz o Dr. Lair Ribeiro: “O segredo está na ordem das coisas. Não é Ter-Fazer-Ser, como a maioria das pessoas pensa, Ser-Fazer-Ter. Lembre-se disso.”

  2. João Henrique Contarini disse:

    Obrigado, lendo o texto, voltei num passado recente em que passei por isso. E concordo com o que vc disse.

  3. Yasmin Martins disse:

    No auge das minhas indecisões sobre continuar a estudar para concurso ou desistir dos dois anos focados na área fiscal eu procurei esse site para me ajudar a voltar a ter foco e força pra estudar. Baixei os autos relaxamentos, o curso de disciplina e fiz o cartaz dos sonhos. Porém, absolutamente TUDO me desmotivava mais ainda e eu não entendia. No meu cartaz dos sonhos eu coloquei todas as coisas que eu realizaria quando passasse no concurso (que eram os motivos pelos quais eu havia começado a estudar) que era mudar de cidade para estudar canto e cenografia, coisas que sonho desde a infância. Quando eu olhava pro cartaz dos sonhos, aquela imagens de cantoras famosas e altas fotos de cenários de shows e peças de teatro, aquilo me desmotivava enormemente, pois eu pensava, poxa… Como eu to sendo covarde. Eu to indo por um caminho “mais fácil” por ser mais cômodo. Primeiro me estabilizaria financeiramente e depois iria atrás dos meus sonhos. Me sentia medíocre. Então decidi largar o estudo do concurso e de repente tudo começou a fluir na minha vida! Estou engajada em vários projetos musicais e cenográficos em menos de 4 meses e estou me sentindo leve e feliz. Ler esse artigo me fez compreender tudo. E principalmente, saber que esse site não está só interessado em atrair alunos concurseiros desesperados por uma vaga, e sim, encorajar a realizar SONHOS. Independente de qual seja ele. Obrigada!

  4. Clediany Vital Barbosa disse:

    Nossa, que texto! Tiro o chapéu. Me identifiquei porque já passei por diversas dúvidas nessa área da minha vida e que foram difíceis de superar pq me sentia que estava sendo covarde ao desistir, mas hoje vejo que fui corajosa e forte ao ir atrás do que realmente vai me realizar. Com 17 anos passei na faculdade de odontologia numa federal, cursei três anos do curso e larguei no sexto período pq não aguentavaa mais aquelas aulaa e clínicas que pra mim não faziam sentido nenhum estar ali, me sentia arrependida por não ter feito vestibular para Direito, sonho de criança. Fui muito criticada ao deixar o curso de odontologia (principalmente por pessoas que não estudam nada kkk irônico) mas segui em frente e fui estudar Direito numa faculdade privada (mais uma vez duras críticas). Superei, fiquei feliz no curso de Direito mas o medo de estar comecando outro curso aos 21 anos me fez estudar paralelamente para concursos. Com muita surpresa no mesmo ano passei em um. Concurso militar para bombeiros, quando passei não pensei em nada que iria enfrentar só pensei na estabilidade financeira que iria ter e fiz de tudo para passar na etapa física do concurso, aprendi a nadar em 1 mês (com muita dificuldade), praticava corrida, salto (meu pai tava orgulhoso demais, elettambém é militar). Mas para minha surpresa, quando já tinha passado em todas as provas e estava prestes a começar o curso senti uma tristeza imensa, como você falou no texto, “cheguei no topo da montanha que não queria estar” . Com duas semanas de curso militar pedi o desligamento. Foi librrtador e sofrido também mas hoje vejo não como uma derrota, e sim como o aprendizado. Hoje tenho muita fé e força que vou ter sucesso e realização profissional na minha área. Estamos na luta!

  5. André Luís disse:

    Gostei muito do que vc escreveu. Ajuda muito a refletir. Gostaria, um dia, de ler/ouvir a respeito de como foi o seu momento em escrever a sua carta de despedida.

  6. Debora disse:

    Felipe Lima me faz acreditar que a vida vale a pena.

  7. Faruk disse:

    Gostei muito de fazer parte de voces

  8. Paulo Sérgio Cavalcanti disse:

    Prezado Felipe, sou advogado e um sonhador nato de que as coisas vão dar certo. Tenho fé em Deus e em mim mesmo. Acredito que é possível sonhar e tornar nossa vontade em realidade. Mais uma vez, muito obrigado pelas palavras de incentivo que acabei de ler. Obrigado pelas mensagens diárias que recebo. Nunca mais vou esquecer essa frase: RELAXA QUE A LUZ TE ACHA! Obrigado, meu amigo, sim, te considero um amigo, porque só os verdadeiros amigos acreditam em você e sempre te dão força para alcançar e alçar voos mais altas. Tenho certeza de que serei AUDITOR FISCAL DO TRABALHO, mesmo com meu tempo limitado. Sou advogado e tenho uma família linda que sempre me apóia. Minha esposa (Gabriela), também concurseira, e meus filhos (Maria Clara (8 anos) e Benício(3 anos). Estou me organizando para adquirir em breve mais um produto do “sougenius” que me dará grande auxilio nessa empreitada. Obrigado mais uma vez Felipe. É muito bom poder contar com o teu incentivo que nos proporciona o fortalecimento de nunca desistir, mas sim, persistir com determinação e disciplina no caminho difícil mas prazeroso após a conquista da grande VITÓRIA! A nomeação e posse no cargo de AFT. Sou um grande admirador do seu trabalho e da sua humaninade.
    Fraternal abraço.
    Paulo Sérgio Cavalcanti

  9. Rodrigo Consentino disse:

    Coach Felipe Lima,

    Ótimas palavras, ler estes textos acalmam o pré sentimento da insegurança e o coloca no seu devido lugar que deve ser bem atrás da vontade da persistência e da fé…

    Nada melhor que um dia depois do outro, mas agora pelo menos sei onde eu quero chegar…

    Obrigado…

  10. Ivam disse:

    Realmente faz muito sentido, obrigado por essas dicas, adorei o site!

  11. Ju disse:

    AMEEEI AMEI AMEI AMEI AMEI AMEI, pfto ♡♡♡

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>