O que os outros pensam de mim – segunda parte

o que os outros pensam de mim

 

No último post eu citei alguns fatores relacionadas a procrastinação e como parâmetros estabelecidos por pais e educadores podem ter influenciado diretamente em como você é hoje.

Agora segue uma lista com o que acontece com as pessoas que são tomadas pela procrastinação. Veja algumas das causas e o que você pode fazer para evitar cair nessa armadilha:

  • Reprovação, insucesso, erros.
      1. Quando os erros acontecem é um momento decisivo para que essa experiência seja interpretada como algo positivo, uma oportunidade de crescimento e aprendizado e não como um atestado público da sua incompetência e incapacidade;
      2. As comparações com outras pessoas, que não levam a nada, só agravam a sensação de que todo mundo consegue ter sucesso na vida menos você.
      3. A única pessoa que você tem que se comparar é consigo mesmo(a). Evolua continuamente, no seu tempo, do seu jeito e as coisas vão acontecer no tempo certo;
      4. Se você se compara com outras pessoas, está cometendo um grande equívoco. Cada pessoa é única e tem as suas condições e limitações. Trilhe o seu caminho, escreva a sua história, supere o seus desafios.
      5. Sempre que você perceber alguém “melhor” que você em algum aspecto da vida, entenda que aquela pessoa não chegou ali da noite para o dia. Persista com paciência e dedicação que você será, terá ou fará tanto quanto;
      6. Lembre-se de que todo faixa preta já foi um faixa branca que nunca desistiu;
      7. Quando não sabemos lidar com os nossos insucessos favorecemos a criação de um sentimento de vergonha sobre as outras pessoas.

 

  • Vergonha por ter decepcionado as pessoas que eu amo
      1. Como a reprovação é interpretada como um fracasso, como uma falta de capacidade de conquistar o sucesso e há a necessidade de corresponder às expectativas da família, o sentimento é de desapontamento, de quebra de confiança;

 

  • Eu não fiz o suficiente
      1. Você decepciona a sua família quando permite que a preguiça e as desculpas te impeçam de agir, quando você age de forma desonesta, prejudica outras pessoas ou não se dedica para busca a realização dos seus sonhos;
      2. Enquanto você estiver se empenhando para merecer a realização dos seus sonhos, a sua família só terá motivos para se orgulhar de você;
      3. IMPORTANTE: Antes de receber a aprovação e o apoio da sua família, é fundamental receber o seu próprio apoio e reconhecimento. Você é a primeira pessoa que deve se apoiar e reconhecer o valor do seus esforços, valorizar a sua história de vida e tudo o que você já superou nela.
        1. Eu sei o meu valor!
        2. Eu valorizo a minha história!
        3. Eu sou o(a) dono(a) da régua que me mede!
      4. Se a sua família não te apoia, não te valoriza ou não reconhece os seus esforços para merecer o seu sucesso, ÓTIMO!
      5. Aquilo que a vida não te dá é seu professor para que você aprenda a ter;
      6. Se eles não te dão apoio, aprenda a se apoiar;
      7. Se eles não te dão valor, aprenda a se valorizar;
      8. Se eles não te dão incentivo, aprenda a se incentivar;
      9. Dessa forma você vai desenvolver uma autonomia, uma ausência de necessidade de incentivo e apoio externo para se manter motivado e persistir diante das dificuldades;
      10. Aquilo que não te desafia não te faz crescer: seja grato(a) pelas suas dificuldades e encontre o prazer e a alegria de viver enquanto você se transforma em uma pessoa ainda melhor para superar cada uma delas;
      11. Tão importante quanto as suas realizações na vida é QUEM você se transforma para conquistar cada uma delas;
      12. Quando não conseguimos lidar com os nossos erros e permitimos sentir vergonha sobre eles, a culpa cresce;

 

  • Culpa pelas reprovações;
      1. É importante lembra-se de que quando estamos lutando pela realização dos nossos sonhos, cada insucesso nos aproxima do sucesso.
      2. É fundamental exercitar a paciência (cada coisa acontece no seu tempo) e a persistência (fazer dar certo até dar certo), entendendo que os erros inevitavelmente podem e vão acontecer e que é preciso aprender com eles sem culpa e com gentileza, evoluindo e deixando o passado no passado;
      3. Eu prefiro errar tentando fazer dar certo aquilo que para mim tem valor que ter sucesso em caminhos mais fáceis, convenientes e que me exigiriam muito menos esforços;
      4. Quando não conseguimos lidar com as reprovações, interpretamos o tempo que já se passou com ainda mais culpa.

 

  • Culpa por ainda não ter sido aprovado(a);
      1. O tempo que se passou até agora e que você se dedicou para realizar os seus objetivos deve ser interpretado com gratidão e orgulho e não com sofrimento e lamentações;
      2. Você está plantando merecimento e vai colher sucesso no tempo certo. Aprenda com os seus erros, melhore-se, evolua mantendo a sua fé. Acredite: vai dar certo;
      3. Quando carregamos o peso da culpa por ainda não ter conseguido ter sucesso, geramos a impaciência.

 

  • Impaciência (pressa);
      1. É como correr na esteira olhando o tempo todo para o cronômetro: o tempo parece não passar!
      2. Diante dos erros, perceba a oportunidade de aprender e alegre-se por se melhorar e tornar-se ainda mais capaz de superar todos os desafios e realizar os seus sonhos;
      3. Empenhe-se em fazer o seu melhor, um dia de cada vez e elimine as suas expectativas sobre quando vai dar certo;
      4. Concentre-se no processo e os resultados virão;
      5. Quando não aprendemos a lidar com a impaciência, geramos uma cobrança excessiva interna.

 

  • Cobrança interna excessiva;
      1. Você tem a consciência de que poderia ter feito mais e se culpa por isso, mas perceba que você vai ter melhores resultados ajustando o seu crítico interno para que ele te dê mais apoio que cobrança, foco no desejo de melhorar e não na reclamação sobre o que está errado ou faltando;
      2. Tenha mais gentileza consigo mesmo(a) e entenda que você está fazendo o que você pode hoje, buscando evoluir sempre, persistindo em busca dos seus sonhos;
      3. A cobrança excessiva interna não gerenciada acaba promovendo a intenção da ausência de erros, o perfeccionismo, a falta de permissão de errar.

 

  • Perfeccionismo;
  • Como seria substituir “Eu não posso errar” por “Eu não preciso ser perfeito para realizar os meus sonhos, mas posso ser cada vez melhor.”?
      1. Ninguém é perfeito e você nunca será;
      2. Aceite os seus erros, entenda o que precisa ser melhorado, pare de reclamar de si e se lamentar sobre a vida e evolua;
      3. Cada minuto se desgastando sobre os seus erros é um minuto desperdiçado que poderia ser usando para resolvê-los;
      4. Quando não gerenciamos o perfeccionismo, não valorizamos as nossas ações.

 

  • Falta de valorização das ações;
      1. Valorize aquilo que você pode fazer hoje e com essa alegria você terá ainda mais energia para fazer ainda mais amanhã;
      2. Algumas pessoas desistem dos seus objetivos de vida por não terem desenvolvido a capacidade de valorizar as suas ações e reconhecer as suas mudanças;
      3. É preciso desenvolver esse hábito de se conectar com a gratidão dos avanços e encontrar nessa felicidade ainda mais força para persistir até dar certo;
      4. Você sempre pode escolher entre valorizar a parte cheia ou vazia do copo. Escolha!
      5. Quando não aprendemos a valorizar as nossas ações, promovemos ansiedade;

 

      1. Algumas pessoas aceitam e se conformam em viverem sob muita ansiedade. Eles até se afirmam como pessoas ansiosas: Eu sou ansioso(a)!
      2. Esse é um padrão que precisa ser combatido da todo custo;
      3. É fundamental eliminar os processos que geram ansiedade, tais como: culpa, medo, cobrança interna excessiva, impaciência, perfeccionismo, falta de autovalorização, preocupações, falta de autoconfiança, comparação com outras pessoas e preocupação com a opinião alheia;
      4. A ansiedade é capaz de reduzir bastante o seu rendimento nos estudos (concentração e memória), além de afetar a sua capacidade de gerenciar o tempo e ainda prejudicar a disciplina;
      5. Quando não gerenciamos a ansiedade, o cansaço e o esgotamento mental são inevitáveis;

 

  • Cansaço;
      1. Muitas vezes as pessoas se cansam bem mais pelo nível elevado de ansiedade que pelas suas ações sobre trabalho e estudo;
      2. Quando estamos cansados temos duas escolhas: descanso (o que nos traz a culpa por não estudar) ou persistir estudando (o que vai trazem um baixo rendimento nos estudos e a desmotivação por não conseguir avançar nos estudos com eficiência);
      3. Quando sentimos culpa por estarmos descansando, não descansamos plenamente e geramos ainda mais ansiedade;
      4. Quando não nos permitimos descansar, inevitavelmente sofreremos uma queda no desempenho e com essa redução de produtividade nos cobramos ainda mais por não descansar e conseguir bater “a meta”;
      5. Há aspectos que precisam ser considerados sobre o cansaço ao final do dia, depois de um dia de trabalho ou estudos, como uma dieta bem elaborada e a realização de exercícios físicos, mas o controle da ansiedade é um aspecto fundamental para preservar energia física e mental;

 

  • Baixo rendimento;
      1. Muitas pessoas simplesmente “travam” pela exaustão e acabam não conseguindo olhar para um livro sem sentir angústia;
      2. Lembre-se de manter o foco nos seus objetivos, mas nunca se esqueça de cuidar do principal para realizá-los: você;
      3. Cuidamos do processo, mantemos a intenção de realizar os nossos objetivos, mas nada vai funcionar bem na vida (aqui fora) se não estivermos bem internamente (por dentro);
      4. Quando não conseguimos render nos estudos e na vida, acabamos por nos desmotivar. Assim como a parte interna REALIZADOR precisa da fé e do desejo de realizar os sonhos do SONHADOR, esse mesmo SONHADOR precisa das ações do REALIZADOR para fortalecer a sua fé e acreditar que vai dar certo.

 

  • Desmotivação;
      1. Quando se perde a fé, perdemos tudo;
      2. Ninguém age sem acreditar que vai dar certo e a desmotivação esvai as nossas forças. Nos arrastamos pelos dias na tentativa de fazer o nosso melhor e nos manter na maratona para o sucesso, mas sem acreditar que o preço que está sendo pago valerá a pena, não temos energia interna para alcançar a nossa excelência e fazer dar certo até dar certo;
      3. Quando não nos sentimos merecedores do sucesso, começamos a evitar situações que nos lembrem dessa crença de incompetência.

 

  • Autossabotagem: eu não me preparo pelo medo de fracassar novamente;
      1. É frequente encontrar esse padrão de comportamento em nossos coachees. O medo de fracassar novamente e enfrentar MAIS UMA reprovação acaba nos amedrontando sobre a preparação;

 

  • E se eu estudar, me preparar, pagar o preço como paguei no passado e me frustrar novamente?
      1. Aonde existe medo, há culpa!
      2. Passamos a ver o futuro e a tomar decisões para evitar sofrimento e não para realizar os nossos sonhos. É a intenção positiva de autopreservação, mas que gera a paralisação das ações;
      3. É como alguém que teve uma desilusão amorosa e toma a decisão de nunca mais se entregar e de confiar em um relacionamento. E como é possível um relacionamento dar certo sem entrega e confiança? Impossível!
      4. Se você se entrega e confia, pode sofrer uma decepção, isso é fato, mas sem entrega e confiança não há como viver uma vida plena em busca das suas realizações;
      5. Quando permitimos que o padrão de autossabotagem se instale em nossas vidas, naturalmente tendemos a procrastinar e nem notamos isso.

 

    1. Algumas pessoas confessam que sentem uma dificuldade grande para começar a estudar, mas que depois de iniciados os estudos, as coisas começam a fluir bem;
    2. Criamos um bloqueio sobre o início dos estudos e tudo parece muito mais interessante e até urgente;
    3. Mas perceba que a procrastinação é uma consequência de todos os itens supracitados e para eliminá-la esses tópicos precisam ser entendidos e resolvidos.

SOLUÇÕES

Mas como resolver todos esses problemas? Existem diversas técnicas que podem ser utilizadas para se eliminar esses fatores listados anteriormente. Apesar de serem muitos, nem todas as pessoas sofrem de todos eles.

Pensando nisso, desenvolvemos diversos cursos voltados para interromper esses ciclos, fazendo com que a pessoa consiga dar o seu passo adiante e pare de deixar tudo pra depois e comece a fazer pela sua vida.

Temos tanto nossos cursos de Personal Training: da Disciplina, Controle da Ansiedade, Zen, Fitness, da Concentração e Rendimento dos Estudos… Todos eles interrompem um ciclo e ajudam você a seguir a sua vida adiante.

Além deles, temos os nossos diversos processos de Coaching que promovem não somente uma melhoria na área relacionada aos estudos mas uma mudança na sua vida como um todo. Você adota posturas de quem age, de quem cuida de si mesmo e sabe elencar as ações necessárias para atingir seus objetivos.

Nos colocamos a sua disposição para sanar as dúvidas sobre os cursos e os processos de coaching. Basta escrever pra gente no suporte@sougenius.com.br.

Um forte abraço e vamos juntos #FazerDarCertoAtéDarCerto,
Coach Felipe Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>