Os tipos de medo.

medo da prova

Costumo pensar que o medo não é de todo um sentimento tão ruim. Se pararmos para pensar o medo é um dos sentimentos mais antigos que conhecemos, pois ele existe desde a idade da pedra, com o surgimento dos primeiros homens das cavernas. Quando estes sentiam suas vidas ameaçadas por qualquer tipo de coisa, principalmente animais, a primeira reação deles era a fuga, ou seja, uma mensagem de perigo era enviada a sua mente fazendo com que o corpo recebesse uma descarga de adrenalina como mensagem para correr e fugir de tal ameaça. Isso tudo nada mais era do que o instinto provocado por ele: o medo. Os homens tinham medo de morrer, por isso fugiam da situação de perigo. E com o passar dos anos, assim como o homem, o medo também foi evoluindo.

No entanto, com a evolução do mundo e do nosso meio, o medo foi se transformando em algo avassalador para algumas pessoas. Aquele sentimento que a principio tinha a finalidade de salvar vidas, acabou mais por destruir vidas. E destrói no sentindo literal mesmo, de deixar a pessoa de “mãos atadas”, sem saber como reagir diante de determinadas circunstâncias.

Quando realizamos nossas primeiras sessões de coaching, um dos sentimentos mais citados pelos coachees que os incomodam, é justamente o medo. A grande maioria cita: o medo de não dar certo, o medo de estar perdendo tempo e já ouvi até mesmo o medo de dar certo! Isso mesmo! houve uma coachee que me disse que tem medo de alcançar o seu objetivo e quando assumir as responsabilidades do cargo não dar conta do recado. Se pararmos um pouco para analisarmos a origem do medo da maioria das pessoas, podemos chegar a conclusão que ele deriva da culpa. O medo de não dar certo pode estar diretamente ligado aquela situação de fracasso vivenciada em alguma época da sua vida, épocas essas que você pode ter vivenciado quando era apenas um bebê. Quando bebê você pode ter se frustrado com algo que te marcou tanto e que hoje te faz sentir muito medo frente a algumas situações.

Nesse tempo atuando como Coach e ouvindo a respeito do medo vindo de diferentes situações, resolvi classificar o medo em três diferentes tipos:

Medo Ajudante: Podemos considerar esse medo como aquele que permeia as nossas escolhas, que nos faz ter cuidado. Podemos considerar esse medo como uma linha tênue entre a ação e a escolha. Um exemplo bem simples: Ao atravessarmos a rua, o medo ajudante está presente no momento em que escolhemos olhar para os dois lados antes de atravessar, pois temos receio de que algum carro em alta velocidade nos atropele, antes da ação de atravessar a rua, fazemos a escolha de olhar para os dois lados para nos proteger.

Medo estimulante: Esse é o tipo de medo mais comum. Ele está ligado direta e indiretamente a culpa por fracassos vivenciados, visto que a pessoa errou uma vez, mas ela tem chances de se melhorar e superar a culpa. Resumindo: este tipo de medo nos auxilia na evolução emocional, nos mostrando que erros são aceitáveis e geram crescimento. Um exemplo clássico são as reprovações que causam as frustrações para a maioria dos estudantes, gerando a famosa culpa e consequentemente o medo de tentar novamente. Esse medo pode e DEVE ser trabalhado através do perdão e da gentileza consigo mesmo, para que ele não evolua para o medo paralisante que vamos falar a seguir.

Medo paralisante: Esse é o mais temido! O medo paralisante é aquele medo que se assemelha a uma fobia, ele não permite que a pessoa “saia do lugar”. Toda vez que o indivíduo pensa em agir para superar tal medo, uma paralisação muito intensa toma conta de sua mente, gerando culpa em cima de culpa, que em síntese significa: culpa por não fazer nada que foi causada pela culpa de algum fracasso. Toda essa situação traz mal estar, e faz com que o sujeito crie uma aversão aos estudos. Os estudos, de fato, passam a fazê-lo sofrer.

Os medos estimulante e paralisante são produzidos por você mesmo, e em tese, o que é produzido por você mesmo também pode ser modificado por você, você tem o controle! E para te ajudar na superação de tais medos os autorrelaxamentos são uma excelente ferramenta. Sem contar que também auxiliam bastante no controle da ansiedade. Nosso Personal Training Zen e processos de Coaching (você pode assistir uma sessão simulada clicando aqui) que contam com 60 dias de acompanhamento, também colaboram para essa superação, que nada mais é do que um amadurecimento emocional que você carregará por toda vida.

#CoachingIssoVaiMudarASuaVida

Coach Laiz Moreno

Comentários

  1. danubia disse:

    Excelente conteúdo!
    Com as dicas da Laiz, foi possivel eu ver meu medo como algo estimulante, fracassei varias vezes e me culpava, com as sessoes , a Laiz me ajudou. Hoje, tendo dar o melhor de mim a cada dia .
    att
    danubia

  2. Murillo Augusto Luiggi de Oliveira Neto disse:

    Muito bom. Realmente o medo as vezes nos faz desistir. No meu caso, as vezes tenho medo de não conseguir dar conta das responsabilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>