Ouse sorrir!

Happy place.

Hoje eu estava em mais uma viagem para palestrar e enquanto esperava no ônibus que leva ao avião, vi um homem em uma cadeira de rodas. Aparentemente ele só conseguia mexer os braços e ainda com dificuldade. Foi necessário tirá-lo da primeira cadeira para colocá-lo em outra para subir as escadas que levavam ao avião. Não foi uma transferência fácil. Três pessoas o ajudaram a migrar de cadeira e, enquanto isso, ele sorria. Fiquei impressionado com o seu sorriso durante aquele processo. Como alguém naquela situação, que não consegue segurar um copo para beber água consegue sorrir? Como ele ousa sorrir, me perguntei.

Geralmente em uma situação dessas é comum se sentir pena, mas me veio no coração uma gentileza, a gratidão pela lição que ele me dava, mesmo sem saber, com aquela ousadia de sorrir diante de dificuldades que a maioria das pessoas nem imaginam a sua grandeza.

 

BOAS NOTÍCIAS QUE NEM VEMOS
Vivemos uma vida ignorando os pequenos e maravilhosos milagres da vida. Ignoramos a fantástica notícia de se ter saúde, de estar vivo, podendo andar e fazer de tudo sem limites. Nos acostumamos com as “boas notícias” e vivemos como se elas fossem eternas.

Como seria poder viver a vida sentindo a alegria no coração, a gratidão e o valor dessas “boas notícias”?

✔ Como seria ter a mesma alegria todos os dias de alguém que recebeu o diagnóstico de cura de uma doença grave, como um câncer? Quão feliz você se sente em perceber a saúde em cada membro e órgão do deu corpo?

✔ Como seria poder encontrar cada pessoa do seu convívio com a mesma felicidade de alguém que acaba de reencontrar com uma pessoa amada que fazia muito tempo que ela não estava por perto? Eu vejo isso em cada abraço nos aeroportos. O meu cachorro Dom todos os dias me ensina essa lição. Ele chora de felicidade quando me vê por uns 5min todos os dias. rsrsrsrsrsrs

✔ Como seria perceber a sua vida com a mesma gratidão de alguém que sobreviveu a um acidente grave e teve uma segunda chance de viver?

✔ Como seria poder olhar o mundo com o mesmo amaravilhamento de quem acabou de receber um transplante de córneas e voltou a enxergar.

Às vezes parece que é necessário passar por uma perda para valorizar o que não está mais aqui.

 

AULAS DA VIDA
Ter passado por dificuldades financeiras me ensinou a valorizar cada centavo que tenho. Só sabe da vergonha que se sente quando falta dinheiro para o básico em casa.

Ter passado fome por não ter tido dinheiro para comprar comida me ensinou a experimentar uma felicidade e gratidão imensas em cada refeição que eu faço para o resto da minha vida.

Não ter tido dinheiro para comprar sabonete para tomar um simples banho, me fez descobrir a alegria de todos os banhos que tomei depois de ter superado as dificuldades do passado.

Ter pensado em desistir da vida me ensinou a alegria de viver, todos os dias.

Essas experiências foram únicas na minha vida, mas hoje entendo que não é necessário passar por privações para poder valorizar, ser grato e perceber a felicidade que é:
✔ Ser quem eu sou;
✔ Viver a vida que eu vivo;
✔ Fazer as coisas que eu faço;
✔ Conviver com as pessoas que eu amo (ainda que alguns estejam fisicamente distante, trago cada um bem perto, dentro do coração);
✔ Ter o que eu tenho em termos materiais;
✔ Perceber a realização profissional;
✔ Ter a saúde que Deus me permite;
✔ Sentir a conexão espiritual com a minha fé.

 

VALORIZANDO O HOJE PARA BUSCAR O AMANHÃ
É notável que quanto mais gratidão se tem, mais energia e força de vontade serão criadas para realizar ainda mais.

A capacidade de encontrar a alegria de viver durante a viagem, enquanto se percorre a maratona da vida é essencial para que essa jornada seja feita sem carregar o peso das reclamações, da ansiedade, das cobranças internas pelo perfeccionismo, da culpa pelos seus erros e por ainda não se conseguir obter os resultados desejados.

Sempre que eu vou correr ao ar livre, vejo pessoas na “melhor idade” com mais fôlego e disposição que muitos adolescentes. Eu nem tento acompanhar o pique deles. São pessoas que criaram o hábito de cuidar da saúde e correr há anos. Quem corre sabe da sensação de desafio quando alguém te ultrapassa na corrida. E eu nem estou falando de uma corrida de competição. Isso acontece em uma corrida sem compromisso, que não vale medalhas, mas que coloca em prova o orgulho.
Parece que nos sentimos mal pela ultrapassagem, por perceber que alguém faz algo melhor e que ainda estamos em um nível bem abaixo dos outros.

Muita gente não evolui por ficarem presos por essa cobrança interna:
✔ Você não é bom o suficiente!
✔ Tem gente que faz muito melhor que você!
✔ Você ainda comete muitos erros!
✔ Você não evolui como os outros!

É essa é uma briga interna, um desgaste pela cobrança interna e às vezes externa que provoca muita ansiedade e que gera um gasto de energia emocional inútil absurdo. Toda essa energia poderia e deveria ser usada para realizações, mas é desperdiçada pela ansiedade gerada.

 

SOMOS MUITO MENOS PELA ANSIEDADE DE JÁ NÃO SER O QUE GOSTARÍAMOS DE SER
Você nunca será o seu 100% se desperdiçar energia se cobrando, se julgando, se culpando e se punindo porque ainda comete erros!

Às vezes me deparo Coachees que estão em cerca de 50% da sua capacidade. Antes eles conseguiam estudar mais, trabalhar mais, realizar mais, gerenciar e aproveitar o tempo de uma forma melhor para cuidar da saúde, lazer, família, vida social e profissional. Mas hoje isso não está acontecendo mais!

Quando iniciamos o processo de Coaching, um dos meus grandes desafios é ajudar a criar mecanismos internos que reduzam ou minimizem o hábito da culpa, da cobrança interna por não estar no 100%.

 

TÔ MELHOR, TÔ FELIZ!
Alguns Coachees, logo na primeira semana, já conseguem recuperar a “performance de viver”, chegando próximo aos 100%.

Isso acontece porque eles estão totalmente concentrados em se melhorarem e aplicar as ferramentas de Coaching sem cobrança interna, sentindo a alegria de conseguirem os 50%, em vez de ficarem com raiva e se sentindo mal por ainda não estarem no 100%. No segundo dia eles relatam que conseguiram 55% de desempenho e ficaram felizes com a evolução. No terceiro dia pulam para 70% e ficam maravilhados com o avanço. No quarto dia beiram os 85 ou 90% e a alegria e o entusiasmo tomam conta do processo. A fé está renovada pela valorização das ações e vem o sentimento de capacidade, a autoconfiança, a alegria de fazer por merecer e perceber que a cada dia mais as realizações se aproximam com maior velocidade.
Semanas depois eles chegam aos 200 ou 300% e a meta dos 100% parece ridiculamente pequena.

O que os impulsionaram, além das técnicas de aprendizagem e os outros métodos e ferramentas de Coaching?
Resposta: A alegria de buscar a evolução, o prazer da melhoria em cada detalhe ainda que pequena, a gratidão por fazer o seu melhor, cada vez melhor, a aceitação dos erros sem julgamento, a permissão de ser imperfeito, mas sempre buscando a auto-superação.

 

TÔ MELHOR, MAS NÃO É SUFICIENTE E AINDA FALTA MUITO!
Às vezes os processos internos estão tão filmes sobre a necessidade de autopunição, de crítica interna dura, da intolerância aos erros, da impaciência pelos resultados que é necessário de um pouco mais de tempo e energia para chegar aos 100%.

Se essas pessoas fossem escaladores, eles subiriam a montanha reclamando de tudo, sem a conexão com a alegria de subida, sem perceber a paisagem e o prazer da escalada.

No segundo dia do processo de Coaching há a mesma evolução inicial de 55% que as pessoas do “grupo” anterior, mas o foco está na insatisfação dos 45% que faltam e não no prazer de ter evoluído 5%. No terceiro dia a evolução chega a 56% e a indignação é clara: desse jeito eu nunca vou chegar aos 100%! A cada dia que se passa a evolução é muito pequena e o foco é sempre no que falta e não nas evoluções.
Semanas depois eles ainda estão lutando para chegar aos 70% e enfurecidos pelos 30% que faltam.

Nesses casos atuamos na criação de processos internos que permitam a superação de sentimentos e pensamentos negativos de como a impaciência, o perfeccionismo, a cobrança interna, a culpa, o medo, a comparação com outras pessoas, a falta de valorização das suas ações e principalmente a forma como eles lidam com os seus erros e limitações.

Dá um pouco mais de trabalho mas essas mudanças acontecem maravilhosamente bem, mas há vários aspectos que precisam ser analisados e processados nas sessões de Coaching individuais para que as trevas internas que os aprisionavam naquele estado mental sejam liberadas.

É uma mudança de dentro para fora que transforma toda uma vida.

 

EXERCÍCIO DIÁRIO
Experimente dedicar poucos minutos por dia para sentir gratidão é valorizar cada detalhe da sua vida com alegria.

Faça isso sem pressa.

Comece por cada parte do seu corpo, depois evolua para os outros aspectos da sua vida.

Você vai perceber uma energia muito maior para se superar e #FazerDarCertoAtéDarCerto.

Um abraço do amigo Felipe Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>