Quanto tempo você tem?

tempo

Você já se deu conta que todo mundo que você conheceu, conhece ou vai conhecer, um dia, irá morrer? Sem exceção. O destino de todo mundo é o mesmo. O meu, o seu, dos seus familiares, seus amigos… A maior certeza da vida que temos é essa: o mesmo fim.

Nessa semana, viajei para a cidade dos meus pais, onde residem meus avós. Meu avô, foi recentemente internado em uma clínica geriátrica. Apesar da difícil decisão dos seus filhos, não exista mais outra alternativa. Aos 93 anos, ele não coordena mais suas necessidades fisiológicas, não consegue mais andar sozinho e depende de alguém que o observe o tempo inteiro.

Além de tudo, ele é surdo. Quando jovem, na época em que serviu o exército, deram um tiro próximo a sua cabeça e ele perdeu completamente a audição do ouvido direito e ficou com 40% da audição no ouvido esquerdo. O que restou de sua capacidade de ouvir foi se deteriorando ao longo do tempo, até aproximadamente meio ano atrás, quando ele passou a não conseguir ouvir mais nada, nem por meio de aparelhos para surdez.

Chegando na clínica junto com meus pais – um lugar bonito, limpo e tão bem arrumado quanto estruturado – fui ao encontro de meu avô. Ele estava numa sala de TV, bem ampla com mais 9 idosos. Quando a gente fala em idosos, pensamos geralmente em pessoas ativas e dispostas, mesmo que com a aparência de alguém com a idade bem avançada. Não, não é esse tipo de idosos que encontramos. A maioria das pessoas que encontram-se neste tipo de local estão lá porque realmente não tem mais condições de estar sozinha. De não conseguir andar. Não conseguir comer. Não conseguir escutar ou falar. Meu sonoro e alegre boa tarde foi respondido por somente duas pessoas. Num tom nenhum um pouco animado. É o que o mundo esconde. É o que o mundo de certa forma abandona, porque não há mais o que fazer a não ser tentar garantir uma dignidade merecida para aquele estágio da vida.

Quando meu avô me viu, me reconheceu e expressou um largo sorriso.

– Felipe, tu tá aqui. Quando tu chegou?

Respondi bem pausadamente, para que ele pudesse ler meus lábios. Tentei fazer algumas perguntas mas ele não conseguia me entender.

Depois de perguntar a meu pai sobre a minha avó (com quem ela estava – ela encontra-se na casa de uma tia minha) ele me disse num tom muito triste:

– eu perdi tudo. Minha casa se foi. Eu sei que não vou mais voltar pra lá. Eu perdi tudo.

Nunca havia me dado conta, até aquele momento, que a casa que meu avô havia construído, era agora uma das suas maiores dores neste estágio em que ele se encontra, próximo do seu fim. A sua relação com a sua casa sempre foi muito intensa. Só ele podia fechar as janelas. Só ele podia manter o controle das chaves. E eu sempre pensei comigo: mania de velho. Mas não.

Ontem eu me dei conta que a casa é uma das coisas mais importantes que ele tem. Tentei responder:

– vô, você não perdeu tudo. Você criou e tem uma família linda. Você educou três filhos de uma forma maravilhosa. Você tem netos e uma bisneta…

Em vão. Ele não entendeu minhas palavras. Não consegui mostrar para o meu avô a coisa mais importante que ele construiu.

Isso me fez muito pensar sobre o que precisamos valorizar de verdade. Sempre fui uma pessoa muito hedonista. Sempre acreditei que a felicidade e a riqueza que levamos daqui está baseada nos relacionamentos com outros seres humanos. Sempre pesei muito onde estive colocando o meu tempo. Pois você pisca os olhos e os anos se passam.

Mas o que isso pode ter a ver com seus estudos? Ou como você está conduzindo a sua vida? Sim, você precisa estudar e se dedicar e correr atrás dos seus objetivos com veemência e perseverança. Mas você não pode parar de viver a sua vida. Não é saudável você colocar todos os seus esforços o tempo inteiro em uma única atividade. A pressão que você acabará criando em você mesmo, caso surja um inesperado fracasso, pode causar uma frustração e decepção tão grande, que muitas vezes lhe deixarão sem chão, sem ânimo e sem esperança alguma. Aprenda a gerenciar seu tempo e equilibrar os pontos de sua vida. Você pode pensar: agora eu vou estudar para passar e isso é uma fase. Depois eu vou trabalhar para comprar uma casa e ter os melhores móveis. E isso é uma fase. As fases vão passando e o equilíbrio fica muitas vezes de lado. Saber gerenciar seu tempo é de suma importância por isso. Você consegue fazer sua gestão do tempo de forma eficiente?

Ter válvulas de escape e praticar atividades que te fazem bem e te deixam feliz lhe darão uma nova energia para seguir adiante. Além de passarem a impressão que sua vida não está sendo desperdiçada. Cada momento é importante. A felicidade está em saber balançar suas responsabilidades com as coisas que realmente lhe são importantes e te fazem feliz.

Meu avô passou uma vida inteira reformando uma casa, construindo um bem, que vai ficar aqui enquanto ele se vai. O que você quer construir pra sua vida? Onde você pensa em colocar a sua energia enquanto tem uma vida ativa? Viagens? Amigos? Num relacionamento? Na sua família? Num carro do ano? Numa casa grande? Na última smart tv ou modelo de celular da moda?

Aprenda a identificar o que te faz feliz de verdade e o que te dá sentido. O que você quer levar daqui? O tempo que nós temos é um tempo que não volta. Ele passou e você o perdeu pra sempre. Acabou esse pedaço da sua vida. Quando falamos sobre a morte, o valor do tempo muda. Ele vale muito mais. Hoje vemos um monte de gente na expectativa por um tempo que está por vir. Esperamos a sexta-feira, o final de semana, as férias, ou a aposentadoria. E todo esse outro tempo que você passou desejando um tempo futuro? Ele se perde. Isso demonstra o quanto não temos noção sobre o nosso tempo. Esquecemos que não temos como pausar a nossa vida. Você vai viver o tempo, a ampulheta vai correr e aquele tempo foi perdido. Acredito que a felicidade esteja muito ligada ao sentido de como você leva sua vida. Do que você fez e como você fez a sua vida. Quando você tiver com pouco tempo – como meu avô que agora, junto de outros velhinhos com os olhares perdidos dentro de uma tv, só esperam sua hora chegar – como você vai avaliar o tempo de sua vida? O que valeu a pena? Que bens você vai levar consigo?

Um abraço e boa sorte com o seu tempo.

Nyland (também Felipe, só que o outro).

Time SouGenius

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>