Você é uma pessoa ansiosa? A ansiedade atrapalha a sua vida?

Como controlar a ansiedade

Muitas pessoas não sabem muito bem como lidar com a ansiedade enquanto outras acreditam que não são ansiosas. O problema é que a ansiedade pode se disfarçar através de outros sentimentos, que quando aflorados, na verdade são todos originados da ansiedade. Convive-se muitos anos com uma cobrança interna excessiva, culpa, medo, comparação com terceiros, impaciência e até mesmo perfeccionismo, sem se saber que a principal causa dos mesmos é a ansiedade.

Talvez você já tenha tirado uma roupa que estava usando e quando fez isso percebeu que havia marcas na sua cintura (isso é experiência de quem tem aquela barriguinha rsrsrsrs). O engraçado é que a roupa estava apertada e você não estava percebendo essa pressão que chegou a marcar a sua pele. Assim funciona a ansiedade. Ela pode estar ali, instaurada. Mas você não sabe como ela age. 

“EU SOU ASSIM MESMO. AS COISAS SEMPRE FORAM ASSIM”

Esses pensamentos e sentimentos fazem parte da vida dessas pessoas há tanto tempo que eles passam a ser aceitos como algo normal. Como características inerentes a sua pessoa. 

Há um conformismo com essa situação e nem se percebe os danos que ela provoca e a perda de energia emocional inútil gerada pela ansiedade.

Quando uma criança nasce em “berço de ouro” e tem tudo na mão, esse excesso de recursos e possibilidades é tido como algo normal: “desde que eu me entendo por gente, desde que eu cheguei no mundo, as coisas sempre foram assim”.

Como não há uma percepção de “antes e depois”, uma vida sem ansiedade e com ansiedade, a existência dessa ansiedade não é percebida como algo que pode ser mudado, e ela é aceita como algo normal, porque sempre foi assim.

IDENTIFICANDO A ANSIEDADE

Se você responder sim para uma das perguntas abaixo, certamente a ansiedade, em algum nível, faz parte da sua vida:

  • Quando você pensa sobre os desafios do futuro, você sente medo ou preocupação?
  • Quando você se lembra de um momento de insucesso do seu passado, você sente uma certa angústia, culpa ou vergonha?
  • Você se compara com outras pessoas?
  • Você se sente mal quando não consegue bater as metas estabelecidas?

Todos nós, de uma forma ou de outra, somos expostos a esses pensamentos e sentimentos, mas a forma como lidamos com eles e a intensidade de cada um deles é o que faz a diferença entre criar a ansiedade ou não.

ANSIEDADE QUE CANSA

Trabalhar e estudar não cansam! Pelo contrário, se você gerar as conexões certas integrando a sua parte interna SONHADOR (o desejo de realizar os seus sonhos, a sua fé) com a sua parte interna REALIZADOR (a execução), cada uma das suas ações podem trazer a alegria e o sentimento de felicidade por se estar pagando o preço pela realização dos seus sonhos (se você está lendo nosso blog pela primeira vez e não sabe quais são as três partes – crítico, sonhador e realizador – CLIQUE AQUI

Quando o seu CRÍTICO interno está alinhado com as outras duas partes aqui citadas, a o desejo de realizar os sonhos são transformados em ações e as ações realizadas vão fortalecendo a fé e a autoconfiança.

O problema acontece quando o CRÍTICO passa a não valorizar as ações do REALIZADOR, promovendo mais cobrança que apoio, focando mais na parte vazia do copo que na cheia.

A insatisfação negativa, a raiva, a culpa, o desânimo e a cobrança interna promovida por essa ansiedade quem vem de um CRÍTICO punitivo acaba reduzindo a capacidade de ação do REALIZADOR e, consequentemente, a fé do SONHADOR.

Vivemos em uma sociedade exigente e imediata. Tudo precisa ser perfeito e ficar pronto logo na primeira tentativa. A cobrança interna das pessoas está cada vez maior e os insucessos são encarados com pouca ou nenhuma gentileza. “Eu me sinto um lixo”, é o que escuto de muitos coachees que acompanho todos os dias em nossos processos de coaching, quando eles falam sobre os seus fracassos. É criado um sentimento de incompetência e inferioridade só porque as coisas não deram 100% certo logo de primeira.

MAS EU NEM PERCEBO A ANSIEDADE

Como vivemos com pressa para tudo, é muito comum o desenvolvimento da síndrome do pensamento acelerado e a consequência até de evitarmos os pensamentos e sentimentos que nos incomodam. “Eu não tenho tempo a perder com as minhas preocupações”. Há uma tentativa de fuga do que nos incomoda e as preocupações, problemas, medo, culpa, raiva, pressões e cobranças acabam por serem ignoradas.

Às vezes essa tentativa de fuga é tão forte que nem nos lembramos do que provocou esses pensamentos e sentimentos negativos, mas as suas consequências nos acompanham. Você já deve ter passado por uma situação em que estava se percebendo preocupado(a), sentindo uma angústia ou um aperto no peito, uma respiração pesada, mas não conseguia se lembrar do que estava causado tudo aquilo. Na correria do dia por vezes nós nos esquecemos de identificar, entender e superar esses sentimentos que promovem um gasto de energia emocional inútil.

PERDA DE ENERGIA EMOCIONAL INÚTIL

Cada minuto de ansiedade é um tempo desperdiçado de energia que poderia ser usada para agir. Às vezes as pessoas terminam o dia de estudo e trabalho e se sentem “aliviadas”. Se ao final do dia existe alívio, ao longo do dia existia pressão.

Certa vez, conversando com um amigo que tinha acabado de terminar um namoro, eu preocupado, perguntei sobre como ele estava se sentindo e a resposta foi: aliviado!

Se o termino de um relacionamento trouxe alívio é porque esse relacionamento estava trazendo, de alguma forma, pressão.

É o que acontece com a ansiedade que desgasta a sua energia ao longo do dia. Quando você aprende a viver uma vida leve, sem cobranças, sem pressões e conseguindo gerar as conexões benéficas sobre as suas realizações, o final do seu dia terá muito mais energia e disposição para finalizá-lo com um aproveitamento excelente.

E então? Você é ou não uma pessoa ansiosa?

Se você gostaria de saber mais sobre os ciclos que geram a ansiedade, você pode assistir os vídeos clicando aqui.

Um forte abraço!

Coach Felipe Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>